Bruno Araújo

(Cidades) – jovem liderança do PSDB, o deputado federal Bruno Araújo é o novo ministro das Cidades, uma das mais importantes pastas da Esplanada.

Advogado, 44 anos de idade, está em seu terceiro mandato de deputado federal. Antes, havia sido deputado estadual em Pernambuco por duas legislaturas, sempre pelo PSDB, partido que preside no estado.

Apesar da juventude, Araújo já tem boa experiência na vida pública. Em seu primeiro mandato de deputado estadual, com 28 anos, assumiu temporariamente a presidência da Assembléia Legislativa de Pernambuco. Nesse período, instalou as CPIs da Violência, dos Combustíveis e dos Medicamentos, que tiveram grande repercussão no estado. Em seu segundo mandato estadual, ocupou a liderança do governo na Casa. O governador à época era o atual deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB/PE), com quem Araújo mantém boas relações até hoje.

Na Câmara dos Deputados, foi vice-líder e líder da bancada do PSDB. Destacou-se ainda na presidência da Comissão de Ciência e Tecnologia da Casa, em 2011, quando colocou em pauta diversas proposições que tratavam de inovação, comunicação e educação.

É um dos autores do projeto que obriga a análise de vetos pelo Congresso Nacional trinta dias após sua publicação no Diário Oficial. Essa medida foi duramente criticada pelo governo de Dilma Rousseff e obrigou o PT e seus aliados a melhorarem a articulação política para evitar que vetos presidenciais fossem derrubados pelos parlamentares.

No plano simbólico, foi dele o voto de número 342 quando da votação da continuidade do processo de impeachment de Dilma, no plenário da Câmara dos Deputados. Seu voto selou o destino imediato da petista.

Hábil negociador, com oratória firme e bem relacionado junto a seus pares no Parlamento, Araújo destaca-se também em CPIs. Na CPI da Petrobras da Câmara dos Deputados, foi dos principais participantes no campo da oposição ao petismo.

No comando das Cidades, ele anunciou de imediato que fará uma auditoria em todos os números da pasta e que trabalhará para estimular Parcerias Público-Privadas (PPPs) com o objetivo de alavancar programas como o Minha Casa, Minha Vida e de saneamento básico.

Seu nome aparece na lista de pagamentos da Odebrecht, descoberta em março último pela operação Lava-Jato da Polícia Federal. Araújo nega qualquer irregularidade.

 

 

Comments are closed.