Osmar Terra

(Desenvolvimento Social e Agrário) – o deputado federal é mais um peemedebista no governo de Michel Temer. Ele será o responsável pela delicada pasta do Desenvolvimento Social e Agrário.

Médico com especialização em saúde perinatal, 66 anos, está em seu quinto mandato de deputado federal. Foi prefeito do município de Santa Rosa (RS). Foi por diversas vezes secretário estadual da Saúde no Rio Grande do Sul.

Entre 1999 e 2001, foi o secretário-executivo do Programa Nacional Comunidade Solidária.

Filiado ao PMDB desde 1986, é dos mais experientes parlamentares em atividade. Ex-coordenador da Frente Parlamentar da Saúde, desde o segundo mandato de Fernando Henrique seu nome aparece nas bolsas de apostas para ocupar a pasta da Saúde. A indicação para o Desenvolvimento Agrário, desse modo, surpreendeu a muitos.

Na condição de médico, mantém uma postura conservadora. Ele é contra, por exemplo, a legalização ou a descriminalização das drogas e de seus componentes medicinais.

Nos últimos meses, radicalizou seu discurso contra o governo Dilma Rousseff, em especial no que diz respeito aos cortes nos repasses de verbas para a saúde.

A fusão dos dois ministérios – Desenvolvimento Agrário e Desenvolvimento Social – representa um desafio para Terra. Ele já afirmou, porém, que as políticas sociais e aquelas voltadas para a agricultura familiar, assentamentos e a reforma agrária precisarão avançar. Ele apenas não detalhou como isso se dará.

O Tribunal de Contas do Rio Grade do Sul apontou irregularidades em suas gestões na secretaria estadual de Saúde e o condenou ao pagamento de multa.

No âmbito da Operação Lava-Jato da Polícia Federal, o novo ministro teria recebido R$ 190 mil da Odebrecht e teria se reunido com Léo Pinheiro, da OAS. Terra diz que tudo se deu dentro da legalidade.

Comments are closed.