Henrique Eduardo Alves

(Turismo)o ex-presidente da Câmara dos Deputados reassumiu o posto que já ocupara no governo de Dilma Rousseff. Por sua proximidade com o presidente em exercício Michel Temer, integra o chamado “núcleo duro” do governo.

Empresário e bacharel em Direito, 67 anos, é político com vasta experiência. Foi deputado federal por onze mandatos consecutivos (de 1971 a 2015) e é importante liderança potiguar, representante da família Alves, das mais tradicionais do estado.

Além de político, é um dos proprietários do Sistema Cabugi de Comunicação, ligada à Rede Globo em Natal (RN). Como parlamentar, participou de importantes momentos da vida política brasileira – votou a favor da Emenda Dante de Oliveira pelas diretas e de Tancredo Neves no Colégio Eleitoral, foi constituinte e, em 1992, votou pela cassação do então presidente Fernando Collor de Mello.

Crítica frequente a ele é a de que não tem perfil para cargos executivos. Seus desafetos citam a passagem pelo ministério do Turismo sob Dilma Rousseff como exemplo. Mudar essa imagem será um de seus desafios agora, sobretudo com a oportunidade dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro no segundo semestre.

Investigado pela Operação Lava Jato. Em dezembro de 2015, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão no apartamento do ministro em Natal (RN). Trocas de mensagens com executivos da OAS mostrariam lobby em tribunais a favor da empreiteira e busca por doações de campanha. Ele nega tudo e diz que os contatos sempre foram feitos de maneira institucional.

Na eleição presidencial de 2003 chegou a ser cotado para vice na chapa de José Serra contra Lula, mas acusações de sonegação fiscal no Rio Grande do Norte feitas por sua ex esposa o tiraram do páreo.

Comments are closed.