Fernando Coelho

(Minas e Energia) – o único representante do PSB comanda o estratégico e problemático ministério de Minas e Energia.

Administrador de empresas, 32 anos, está em seu terceiro mandato de deputado federal. O titular de Minas e Energia é o mais novo representante de tradicional família de políticos da região de Petrolina (PE). Ele é filho do senador e ex-ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra Coelho e herdeiro de ex-prefeitos da cidade.

Na Câmara dos Deputados, Coelho tem atuação discreta, apesar de haver ocupado até recentemente o posto de líder da bancada. Simpatizante da bancada ruralista, apresentou projetos que trazem benefícios fiscais para o agronegócio. No âmbito da pasta sob seu comando, é o autor de projeto que concede incentivo fiscal à produção e comercialização de automóveis movidos a eletricidade ou híbridos.

Sua nomeação rachou os socialistas. Parcela significativa do partido não aceita participar do governo de Michel Temer e considera Coelho um membro da “cota pessoal” do presidente. O debate interno em torno da questão ainda não se encerrou e fala-se inclusive na desfiliação de lideranças históricas do PSB caso ele continue no cargo.

Já ministro, ele admitiu ter pouco conhecimento do setor. Desse modo, convocou os representantes de nove entidades para começar um diálogo mais profundo sobre os assuntos mais críticos do ministério.

Problemas não faltarão. Sabe-se que o setor elétrico atravessa um momento difícil, com muitos esqueletos e passivos ainda não totalmente calculados. Energia significa crescimento e o fornecimento seguro dela não está 100% garantido a longo prazo.

Formalmente, Coelho não é investigado nem teve seu nome citado por delatores dentro da Operação Lava-Jato da Polícia Federal. Contudo, seu pai, o senador Bezerra Coelho, foi alvo de um mandado de busca e apreensão na etapa chamada de Catilinárias, ocorrida em dezembro passado. Documentos e computadores foram recolhidos de seu escritório político, que fica em Petrolina. O caso pode respingar no novo ministro de Minas e Energia.

Comments are closed.