Jair x Hamilton?

São cada vez mais claros os sinais de que o ambiente não está bom no Planalto. O clã Bolsonaro e seus aliados não escondem mais a insatisfação com o protagonismo de Hamilton Mourão. A escalada de ataques ao vice mostra que a lua de mel acabou.

O quadro atual teve início com o pedido de afastamento do vice, feito pelo deputado Marco Feliciano (Podemos/SP). Baluarte da bancada evangélica, o parlamentar ecoou o desejo do entorno do presidente Bolsonaro.

A partir disso, a família Bolsonaro, bem à sua moda, passou a postar mensagens atacando Mourão. A situação chegou ao ápice quando o próprio presidente colocou no ar um vídeo do guru Olavo de Carvalho criticando duramente militares e outros aliados de Bolsonaro, inclusive seu vice.

Mourão, no entanto, também tem seus aliados. Além dos militares, que o respeitam muito, os líderes do PSL na Câmara dos Deputados e no Senado Federal saíram publicamente em sua defesa.

A nova crise em curso lembra muito o que ocorreu entre a então presidente Dilma e seu vice, Michel Temer. Pouco antes do início do processo que culminou no afastamento da titular, Temer divulgou carta pública criticando duramente a petista. O episódio contribuiu, de algum modo, para o impeachment de Dilma.

Explica-se o desconforto dos Bolsonaro com Mourão. Em meio aos muitos erros e idas e vindas do governo, o vice-presidente se apresenta como a voz sensata no poder. Sempre que pode, ele recebe embaixadores, empresários e representantes da sociedade civil organizada. Até mesmo a CUT já tomou cafezinho com Mourão.

No momento em que o Planalto tenta fazer avançar sua agenda, em especial a proposta de reforma da Previdência, o desentendimento na cúpula governista é preocupante. O saldo final do embate pode ser ruim para todos - um jogo perde-perde danoso para o país.

André Pereira César
Cientista Político

Comments are closed.