Nova pesquisa de opinião pública

Faltando pouco para completar os simbólicos cem primeiros dias de governo, o presidente Bolsonaro sente a pressão do posto. Divulgada nessa sexta-feira, a mais recente pesquisa XP/Ipespe mostra as dificuldades enfrentadas pelo Planalto. Segue abaixo um sumário analítico dos principais números do levantamento, realizado entre os dias 1 e 3 de abril.

. A avaliação positiva do governo Bolsonaro oscilou de 37% para 35%, enquanto a negativa igualmente oscilou de 24% para 26%. Longe de alarmantes, os números confirmam a tendência de queda da avaliação do governo, que sofre ataques em várias frentes.

. A avaliação do Congresso Nacional segue negativa. De 37% no mês passado, agora são 42% aqueles que são contra os trabalhos dos parlamentares. Do outro lado, passaram de 18% para 13% os que defendem o Congresso.

. Sobre a reforma da Previdência, 61% são favoráveis, enquanto 33% são contrários. Nesse campo, a equipe econômica de Paulo Guedes ainda tem terreno para trabalhar a seu favor.

. Quanto à confiança nas instituições, a pesquisa aponta para uma situação similar à dos meses passados. As Forças Armadas são apreciadas por 66% da população, enquanto o Senado Federal tem o apoio de 17%, e a Câmara dos Deputados de 11%. Os partidos são bem vistos por apenas 7% dos entrevistados. Esse quadro, em tese, reforça que o discurso da "velha política" contra a "nova política" do presidente Bolsonaro tem surtido efeito.

. Por falar nisso, 55% dos entrevistados apontam que o Brasil vive uma "nova política", contra 39% que dizem o contrário.

. No que diz respeito à relação entre o Planalto e o Congresso, 33% dizem que o governo deve endurecer o discurso e a ação, enquanto 37% avaliam que a flexibilização ajudará no avanço da agenda.

O eleitor parece entender com alguma clareza a dinâmica da política brasileira.

André Pereira César
Cientista Político

Comments are closed.