Meio ambiente novamente na berlinda

A questão não é nova. As recentes queimadas no Pantanal e na Amazônia, de proporções gigantescas, além do desmatamento desenfreado, evidenciam mais uma vez a fragilidade das políticas do governo para o meio ambiente. Corte de verbas e descaso são as marcas da atual gestão para o setor. Para piorar, o presidente da República segue negando os fatos. O país como um todo paga a conta.

A exemplo do ocorrido há um ano (após o fogo na Amazônia), a comunidade internacional se mobilizou. Oito países europeus enviaram carta aberta ao vice-presidente Hamilton Mourão, responsável pela área, para protestar contra a política ambiental brasileira. O vice, por sinal, pouco fez até o momento para efetivamente mudar o quadro, ficando apenas no discurso.

Os signatários participam da “Declaração de Amsterdã”, parceria entre nações para promover sustentabilidade e cadeias de produção de commodities que não destruam florestas. Outras entidades, como a Global Forest Watch, também monitoram a destruição no Brasil. A situação é alarmante.

As consequências são evidentes. Seguindo as orientações de seus governos, investidores estrangeiros recusam-se a aplicar recursos no país. Empresas de porte ameaçam boicotar produtos brasileiros, justamente em um momento em que a pandemia torna urgente a recuperação econômica. Pior, a tragédia ambiental e social não tem preço, e levará gerações para que tudo se recupere.

Por falar em boicote, celebridades nacionais e internacionais se unem ao coro e reforçam as críticas ao governo. Aqui abre-se espaço para os bolsonaristas mais aguerridos, que saem em defesa do presidente e reforçam as teses conspiratórias daqueles que supostamente desejam “destruir a nação”. As redes sociais são o front preferencial desse grupo.

O presidente Jair Bolsonaro tem papel central na atual conjuntura. Ele não apenas tem a caneta em mãos para decidir o que fazer, mas também usa a retórica em defesa própria. Em recente evento na Paraíba, ele disse que “o Brasil está de parabéns na preservação do meio ambiente”. A ordem é negar os fatos.

A história se repete, novamente como tragédia. Enquanto Bolsonaro e seus aliados seguem focados na reeleição, o país arde - real e metaforicamente. De referência no meio ambiente, o Brasil passou a ser um pária. Eis a simples e dura verdade, sem solução imediata.

André Pereira César

Cientista Político

Comments are closed.