Sobre manifestações, PIB e números

A semana que se encerra foi pródiga em eventos políticos. Para além de proposta de um “pacto” pelo país, merecem especial reflexão as manifestações de rua, já exploradas aqui, e os dados do PIB do primeiro trimestre.

As manifestações pró e contra o governo Bolsonaro, como já falamos, apenas reforçam a forte polarização vivida pela sociedade brasileira. O quadro se agudizou na última quinta-feira, 30 de maio, quando estudantes, professores, pesquisadores e funcionários saíram novamente às ruas para defender a educação. O ministério da Educação,  na figura de seu titular, Abraham Weintraub, partiu para o contra-ataque e criticou duramente os manifestantes. O ambiente é de confronto aberto.

Pior ainda, o vídeo postado pelo ministro, com um guarda-chuva à la Gene Kelly, mostra o pouco apreço do governo pela liturgia dos postos de poder. Irônica, sua postura apenas jogou mais gasolina em uma fogueira que teima em apagar. O debate entre as partes segue interditado.

O conturbado ambiente ganhou novo elemento com a divulgação do resultado do PIB trimestral. Já se sabia que os números não seriam bons, mas a retração de 0,2% da economia ampliou as preocupações de todos. Pior, o mercado já especula que o segundo trimestre terá resultado similar.

Diante dessa realidade, o governo e sua equipe econômica buscam soluções de curto prazo para virar o jogo. Uma hipótese em discussão séria a liberação de recursos de fundos como o FGTS para reaquecer a economia. Economistas de diversas correntes classificam a medida como “vender o almoço para comprar o jantar”, ou seja, seriam praticamente inócuas. De concreto, Planalto e equipe econômica parecem perdidos, o que apenas piora o quadro. O ministro Paulo Guedes, um dos pilares do governo Bolsonaro,  começa a ter a imagem arranhada.

O fato é que o quadro segue nebuloso. Quanto às manifestações, governo e oposição podem alegar vitória, dada a dificuldade de se mensurar com precisão o número de manifestantes nos eventos. A única certeza é que o povo saiu às ruas.

No caso do PIB, a realidade é outra. Os números apontam para a deterioração da economia, em um crescendo de dificuldades para todos. O governo Bolsonaro não pode fugir dessa verdade.

André Pereira César

Cientista Político

Comments are closed.